Womenwill Reuniu 130 Mulheres em Curitiba

Selfie de encerramento com as participantes, Erica Marques e Gisele Cipili. Fotografia: Isabel Braun

130 Mulheres em Curitiba se reuniram para participar da Iniciativa Google que contou com espetáculo de dança, apresentação do projeto e uma palestra sobre: “O que é ter uma vida com propósito?”

Na última quinta-feira (28/06) aconteceu na Capela de Santa Maria, em Curitiba/PR, o Womenwill uma iniciativa do Google cujo objetivo é criar oportunidades econômicas para promover o desenvolvimento e o sucesso das mulheres ao redor do mundo.

O evento iniciou com uma apresentação do grupo de dança contemporânea Dancep, do Colégio Estadual do Paraná (CEP), com a coreografia “Queendom”.
De acordo com  o coordenador e coreógrafo do Dancep, Fernando Nascimento, a dança é uma oportunidade de fazer com que os alunos e sociedade em geral tenham acesso à arte. “Hoje quem criou o espetáculo foram às próprias meninas. As pessoas tornam-se melhores quando participam e tem acesso às atividades culturais. Isso ajuda a desenvolver uma sociedade mais criativa e cultural,” explica Nascimento.

Outro momento importante foi quando a manager do GBG Curitiba, Erica Marques, apresentou como funciona as atividades desse capítulo e como a capital paranaense está sendo reconhecida pela participação local nas atividades realizadas por essa comunidade. “O trabalho do GBG Curitiba consiste em Conectar, Informar e Inspirar as pessoas. Com atuação desde 2012 na cidade, atualmente estamos entre os dez capítulos mais ativos do mundo, e somos referência mundial,” comenta Érica.

Esse foi um dos motivos da realização do Womenwill em Curitiba, Paraná. “Ajudamos mulheres a usar a tecnologia para desenvolver suas habilidades, encontrar novas inspirações e para interagirem entre si por meio de treinamentos, eventos e ativismo,” explica Érica. O propósito principal é incentivar diálogos que promovam a equidade de gênero e assim trazer benefícios para a sociedade.

Para finalizar o evento, aconteceu uma palestra com a executiva e coach de carreira, Gisele Cipili sobre: “O que é ter uma vida de propósito?”. Para viver com propósito é preciso ter uma atitude de descoberta que é dinâmica, arriscada e incerta. “O propósito pode ser a dedicação a uma causa, realizar um trabalho, destinar tempo para uma pessoa, não necessariamente propósito e trabalho estarão juntos. Não acredito em receita para descobrir meu propósito nesse mundo. Acredito em experimentar, conhecer quem sou, no que acredito e como posso viver o melhor possível para mim, para o coletivo enquanto me descubro ser,” concluiu Gisele.

O evento foi uma realização do GBG Curitiba e contou com a parceria da LogosBr, Centro Europeu e Enfoca, o apoio do Vale do Pinhão, Agência Curitiba, Prefeitura de Curitiba, Google Developers, Unistart e Lopes e Santos. A segunda edição está prevista para acontecer em julho. Em breve serão divulgadas mais informações.

Qualquer dúvida entre em contato.

Cenário atual

Quase metade das mulheres economicamente ativas não faz parte da economia formal. Womenwill oferece treinamentos em habilidades digitais com o objetivo de superar a lacuna de participação feminina no mercado de trabalho, ajudando as mulheres e as empresas a prosperar.

Ambiente de Trabalho

Apenas 54% das mulheres em idade economicamente ativa fazem parte da economia formal, em comparação com 81% dos homens. No entanto, um local de trabalho onde as mulheres estejam bem representadas têm um maior potencial econômico e uma diversidade mais vasta de ideias. Womenwill tem parcerias com entidades dos setores público e privado para defender um local de trabalho mais inclusivo. A nível individual, o programa Womenwill oferece às mulheres formação em ferramentas online para que elas possam gerir melhor o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal.

A desigualdade de gênero é um problema global

Mesmo nos ambientes de trabalho modernos dos dias de hoje, as mulheres enfrentam diversas barreiras, incluindo salários menores em trabalhos equivalentes, preconceitos inconscientes e uma menor representação em posições de liderança.

Em termos globais, a cada 100 homens existem apenas 36 mulheres em posição de liderança. Além disso, entre os países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a diferença média de salário entre homens e mulheres é de 16% para trabalhos similares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *